Gráfica Nova Print

4 dicas para levar sua startup para o mercado internacional

Fundador do Fashion.me, que lançou o negócio nos EUA, dá dicas para quem crescer além das fronteiras do Brasil

Se para conquistar o mercado internacional bastasse pegar um avião e desembarcar lá do outro lado do mundo, seria fácil, né? Mas a realidade é bem diferente. Ter sua startup reconhecida no mercado nacional já não é uma tarefa fácil. Expandir os negócios para outros países, então, é mais complicado ainda.

Mas a missão não é impossível. A Fashion.me, rede social voltada para a moda, viu uma oportunidade e resolveu arriscar. “Em 2011, percebemos que o que estávamos fazendo poderia valer não só para o Brasil, mas para o mundo. Então buscamos investimento para nos ajudar a iniciar uma expansão internacional e fizemos a mudança do nosso nome de byMK para Fashion.me”, diz Flávio Pripas, cofundador da startup.

No começo do ano, a plataforma ganhou sua versão para o mercado americano e, em paralelo, os empreendedores continuam a investir na operação nacional. Diante desta experiência, Pripas destaca alguns pontos para quem quer crescer além das fronteiras do Brasil:

Não tenha medo de arriscar
Não necessariamente as fórmulas que funcionam darão o mesmo resultado em outro mercado. Você precisa ser corajoso o bastante para correr o risco.

Esteja disposto a fazer as malas
Pelo menos um dos sócios deve acompanhar o novo mercado de perto. “Aprendemos, que em uma startup, o negócio só se desenvolve com a mão do sócio”, diz .

Dê um passo de cada vez
Pripas e seu sócio planejam conquistar outros mercados, mas não antes de atingir os objetivos traçados para os Estados Unidos. “Caso os objetivos sejam atingidos (número de usuários, parcerias, receitas), pensamos no próximo estágio, ou seja, novos mercados”, afirma.

Analise vantagens e desvantagens
Como em tudo na vida, expandir o negócio para outro mercado tem o lado bom e o ruim. Com a Fashion.me não está sendo diferente. “A grande vantagem é o aumento da escala que o negócio pode atingir. A maior desvantagem é tentar fazer tudo ao mesmo tempo, com recursos limitados”, diz o empreendedor.

Fechar comentários

Comment (1)

  1. Se você e um vendedor e não te um caderno, você provavelmente ainda não escuta seus clientes. O caderno não sá ajuda você anotar cuidadosamente cada dor que seu cliente manifestou, mas também mostra para seu cliente que você esta prestando atenção ao que ele diz. Uma dica é anotar exatamente o que ele fala, com as palavras que ele mesmo usou, e não uma interpretação sua da dor. Desse modo, fica muito mais simples entender a necessidade e problema do cliente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *